eu podia dizer que eu odeio agosto, mas não posso, né? seu aniversário, do meu pai e mais um monte de coisa legal aconteceu nesse agosto. <3 mas agosto é um mês com potencial de merda gigantesca. fiquei super doente, odeio ficar doente, foi um saco. e é impressionante como vai chegando o fim do mês e tudo se encaixa e dá certo. ainda bem que esse ano cê não sumiu, odeio quando cê some e eu acho que dá um azar louco não comemorar aniversário. e, bom, cê sobreviveu ao último ano, comemora peloamordedeus. 

eu tô meio perdida na própria minha vida. fiquei 10 dias na namíbia e quando eu cheguei em são paulo não tinha mais nada no mesmo lugar. nadinha. o MQR sofreu uma revolução, as coisas ficaram tão grandes e inesperadas que eu, juro!, nem sou capaz de imaginar o que vai acontecer. tem também acazinha e um milhão de coisas novas rolando por causa disso, desde contrato, arquiteta, reforma, até um monte de cursos novos pra rolar já agora. miguel se refere ao mingau como “esse gato sanguinário”. juro! não sei onde essa criança enriquece o vocabulário haha. fiquei super doente e odeio ficar doente, fiquei irritada, mal humorada, meu trabalho tá de cabeça pra baixo pós férias e doença, perdi a referência do todo e eu sempre fico em p-â-n-i-c-o quando isso acontece, mas não tem jeito, vai ser assim por algumas semanas. e eu to namorando-apaixonada. eu não te contei isso, né? deixei pra contar aqui :). acho que tem pouca coisa que muda tanto a vida quanto namorar, é um universo e eu adoro. é isso, voltei de férias e minha vida nunca “voltou ao normal”, não vai voltar. sou chegada em mudança, cê sabe, tô achando maneiro, mas tá um vendaval. Luiz sempre diz que não tem tédio na minha terapia, há cada 15 dias tudo mudou de novo, dessa vez mudou muito, muito, muito.

acho tão fofo vc e bourdain, cê demora muito a amar tanto alguma coisa/alguém, fico animada de ver acontecer. e feliz que minha gaveta é grande, eu não tenho memória, não lembrava do pavement, mas faz sentido. e eu tenho certeza que a gente é amigo há tento tempo porque a gente é muito leal um ao outro, compra as brigas e amores um do outro,  mas definitivamente porque a gente não topa ingratidão. (e que happy together!!! preciso rever! que saudade!). e também amo você odiando, não topando, sendo radical nas opiniões, esse você é muito você. e já largamos um livro esse ano (devia ter sido no prefácio, convenhamos), keep going.

quando vc vem? acho que a gente devia marcar uma data pública, aí vc fica com vergonha de me dar bolo haha. eu podia inventar um projeto presencial com vc, aí vc vai ter-que-vir pra sp. vc precisa conhecer minha vida nova. 

saudade, amo você e tô esperando ce decidir qual livro a gente vai ler. já tô ótima, <3.

Deixe uma resposta